Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro 31, 2013

Carma e Darma – causa e propósito do destino

Sob o ponto de vista de quem atravessa um momento de sofrimento agudo em sua existência, nada pode ser mais inoportuno e desagradável do que alguém racionalizar ou tentar “explicar” as causas de sua dor com base em eventos passados nesta ou em alguma vida pregressa. A racionalização em momento inoportuno, longe de causar alívio, pode até mesmo aumentar o sofrimento e a revolta do sofredor, por ver alguém racionalizando friamente sobre seu sofrimento, em um momento em que desejaria receber conforto, empatia e calor humano. O Carma e o Darma (respectivamente, a causa e o propósito dos eventos) devem ser estudados sim, mas em situações prévias de estabilidade e de normalidade. Jamais devemos atormentar um sofredor com racionalizações e explicações em um momento de sofrimento intenso. Mas não há dúvida de que esses temas são importantes e sua compreensão prévia pode auxiliar o sofredor na compreensão e na absorção de seu sofrimento. A maior contribuição do pensamento oriental ao Ocidente…

Penso e Vejo, logo Sinto e Faço

No homem civilizado, os estímulos, em sua maioria, são recebidos pelos sentidos (95% dos casos), passam pela córtex cerebral para ser avaliados. O hemisfério esquerdo opera o cognitivo (pensamentos, crenças, valores). O direito trabalha gerando imagens ou representações sensoriais (visuais, auditivas, olfativas, sinestésicas de movimento e posição, e de sensações). Essas computações em frações de segundo ativam as estruturas subcorticais: lobo límbico, que geram emoções e sensações físicas. Ao mesmo tempo ou imediatamente depois são produzidas respostas motoras. Daí que: “Penso e Vejo”... (ou pode ser inverso: “Vejo e Penso”, e resulta em “Sentirei e Farei”.
Os pensamentos irracionais são divididos em três categorias: 

1. Inconscientes (podem fazer-se conscientes ou até ser modificados por um psicoterapeuta por meios hipnóticos ou indiretos, sem tornar-se conscientes). 

2. Conscientes: 

A) O indivíduo não aceita que sejam irracionais, como ocorre nos casos de preconceitos ou crenças mui…