Projeção Astral: Viagens fora do corpo

Não são poucas as pessoas que relataram a sensação de se desprender do corpo durante o sono. Há quem acredite que Cientistas como Kepler, Einstein e Jung também teriam vivido essa experiência....





















Sonhos de Jung
O psiquiatra suíço Carl Jung parece ter ido mais além no terreno das experiências raras. Ele escreveu sobre fatos estranhos que teriam ocorrido em sua casa – como móveis que se partiam sozinhos sem motivo aparente. O criador da psicologia analítica escreveu também sobre sua capacidade de, às vezes, saber de fatos sobre alguém sem que ninguém os tivesse contado......
Também chamada de projeção astral, desdobramento, viagem astral, experiência fora do corpo, viagem extra corpórea, viagem extrafísica, viagem espiritual, desdobramento espiritual etc.
Achar um nome correto para este fenômeno não é simples,pois no transcorrer da nossa história, temos referências diferentes em cada cultura, religião, seita ou filosofia, e a manifestação da consciência em veículo psicossomático, pelo menos por enquanto,não tem no nome o fato mais importante, mas sim no fenômeno. Nós aqui nomearemos como projeção da consciência (PC) ou projeção astral (PA), formas mais comumente usadas pelos estudiosos.
A Projeção Astral é um fenômeno antigo, citado pelos Egípcios, estudado pelos Rosacruzes, Fraternidades Brancas, Hindus, Chineses e Cabalistas. Há muitos séculos também aparece em relatos individuais de autores. Apresentada de forma mística, hermética ou religiosa, às vezes envolvida por uma névoa sobrenatural que, só mais recentemente, com uma melhor aceitação da espiritualidade em suas várias correntes, começou a ser difundida por pessoas que a experimentaram e, sem medo das opiniões mais fechadas e crucificadas pelo conservadorismo, apresentaram o fenômeno por meio de livros, palestras, cursos, workshops etc.
Alguns autores como Robert Monroe, Waldo Vieira, Sylvan Muldon, Annie Besant, Mellita Denning e Osborn Phillips, Lobsang Rampa, Chico Xavier, Leadbeater etc, citam situações e experiências que eu, como projetor lúcido, muitas vezes pude vivenciar durante meu período de aprendizado nesta atual reencarnação.
Existem inúmeros casos de EQM (experiências de quase morte) relatados por pessoas idôneas, acontecidos em várias partes do mundo e com descrições muito parecidas de todo o processo vivenciado por cada um. Emanuel Swedenborg (1688), grande vidente e projetor, deixou muitos relatos de suas PAs descritas de forma clara e inquestionável. Honoré de Balzac (1799) fez citações de experiências de PA. Oliver Fox (1920) publicou experiências de PA. Allan Kardec codificou o espiritismo e utiliza a expressão bilocação da alma. Sylvan Joseph Muldon (1903) produziu em 1929 um verdadeiro marco na projeção astral; seu livro traz estudos e pesquisas organizadas, criando uma visão clara e desmistificada; e Robert Crookall (1960), que também escreveu sobre Projeção Astral, para citar alguns que escreveram a história da PA.

O que é ?

É a descoincidência entre o corpo físico e o corpo psicossomático (astral) para captar energia, receber informações e realizar tarefas na dimensão chamada espiritual ou energética. O praticante treinado para realizá-la consegue um estado de consciência, lucidez e rememoração cada vez maior, podendo desta forma orientar sua evolução com mais eficiência. É uma condição inerente a todos os seres humanos. É um processo fisiológico.

Quem pode realizar Projeções Astrais?

Qualquer pessoa em idade de discernimento pode produzir projeções astrais lúcidas. Mesmo pessoas com idade avançada ou com problemas físicos que tenham lucidez suficiente, podem realizar esta experiência.


Com a acumulação de projeções astrais, a pessoa começa a ter, de forma espontânea, lembranças saudáveis de vidas passadas


Os conhecimentos ocultos na memória subconsciente funcionam como ativadores do potencial parapsíquico da consciência reencarnada,
provocando projeções espontâneas e, muitas vezes, fazendo fluir as lembranças anteriores, através da retrocognição extrafísica, não só para as existências anteriores, mas também, para os períodos intermissivos, entre as vidas, no plano extrafísico.
Alguns pesquisadores desenvolveram técnicas para acessar as vidas passadas como o Dr. Brian Weiss. O envolvimento do Dr. Brian Weiss com a Terapia de Vidas Passadas começou em 1980 com uma paciente a quem ele chama de Catherine. Após quase um ano de terapia convencional, a moça não havia feito grandes progressos em seu tratamento. Dr. Weiss sugeriu, então, tentar a hipnose. Foi aí que, em vez de regredir à infância, celeiro dos maiores traumas da vida adulta das pessoas, Catherine voltou 4.000 anos no tempo, lembrando-se com riqueza de detalhes de sua vida no Egito Antigo. Até o episódio com Catherine, Dr. Brian Weiss afirma que não era um homem religioso, nem acreditava que reencarnação fosse algo real. Porém, ele teve de se curvar diante das provas evidenciadas por sua paciente. A partir de então, o psicanalista passou a usar a Terapia de Vidas Passadas como seu principal método de trabalho.
A história completa de Catherine e de seu tratamento está registrada no livro Muitas Vidas, Muitos Mestres.  Para quem gosta vale a pena ler este  livro...Uma entrevista perguntaram ao Dr Brian Weiss....


Por que esquecemos das vidas passadas?
Weiss – Várias culturas acreditam que esquecer é uma forma de proteção. Acho que cada vida é um novo teste para saber se o aprendizado já faz parte de nossa natureza, se está no coração e não só na mente. A Terra é a escola, onde temos que aprender a não-violência, a compaixão, a paciência, a amorosidade.


Comentários

Postagens mais visitadas