Férias e estresse: como controlar as situações estressantes no final do ano



As férias de final de ano podem ser divertidas – afinal, é o momento mágico mais esperado do ano –, mas algumas vezes também se tornam uma fonte de estresse, pois não coincidem com a realidade que se esperava encontrar. Então, como lidar com os problemas durante as férias?
Ser realista é o primeiro passo. No caso de encontros familiares, caso você tenha pendências com alguém – uma briga mal resolvida ou uma mágoa guardada – tente não fazer desse momento a hora de ir à forra. Evite entrar em conversas muito profundas, tente não ficar sozinho com a pessoa. Mas isso não quer dizer que você tenha de fingir que tudo está bem. Saber equilibrar esses sentimentos é o melhor para que você não desrespeite seus próprios sentimentos e ao mesmo tempo não se estresse tanto.
O estresse econômico acaba com seu espírito de final de ano?
Saber que seus gastos têm um limite pode ajudá-lo a se estressar menos. As pessoas acreditam que é necessário sair para comprar presentes para todo mundo nessa época perto do Natal, mesmo quando não se pode pagar por isso. O estresse não aparece somente no momento em que você compra um presente caro, mas também toda vez em que as parcelas desse presente caírem na sua conta. Então, não se envergonhe de fazer uma lista de presentes personalizada, onde as pessoas mais importantes têm prioridade e outros amigos ou parentes ganhem algo mais simples.
O pouco tempo para se preparar para o final de ano também pode estressar
Não é preciso parar de fazer as atividades do dia a dia para fazer as compras e preparativos de final de ano. Basta se programar um pouco por dia. Tente também priorizar os compromissos sociais e não se sinta obrigado a comparecer a todas as festinhas com os colegas e amigos. E caso você tenha de ir, não precisa ficar muito tempo. Isso já ajuda você a ter um tempinho para ir onde quer que seja e se preparar para o Natal ou a viagem para a praia, por exemplo.
Como lidar com o final de ano após uma tragédia pessoal recente, como a morte de alguém próximo ou o final de um relacionamento?
Se você está passando por problemas assim, talvez queira evitar alguns eventos sociais, pois você não estará em sintonia com as outras pessoas. Tente ficar perto de quem você realmente gosta ou que lhe dê segurança. Essas pessoas vão saber como apoiá-lo nesse momento difícil e vão entender caso você desista de ir às festas de última hora.
Como lidar com as crianças que querem fazer tudo no final do ano e não sabem o quanto as coisas custam para acontecer?
Ser realista é um aprendizado, e as crianças precisam ser ensinadas. Você não estará estragando os sonhos delas caso faça isso de uma maneira correta (veja mais AQUI). Não há problema algum em explicar para seus filhos que um brinquedo é caro demais. Afinal, até Papai Noel tem um limite de crédito e pode ter escolhido outro brinquedo, pois sua lista de presentes este ano tinha muita gente.
Você também pode dizer que a mamãe, o papai e o Papai Noel tentaram chegar a um acordo sobre o que era melhor para eles. As crianças precisam saber que alguém é responsável por elas e que há limite para tudo, até para os presentes. Não é porque é Natal que elas podem tudo, correto?
Outras estratégias para lidar com o estresse no final do ano
Contenha suas expectativas e seja realista ao extremo. Não espere mais deste final de ano do que de outros finais de anos anteriores. Evitar a televisão também pode diminuir a ansiedade por essa data tão mistificada.
Não é incomum encontrar pessoas que não gostam das festas de final de ano, pois se frustraram muitas vezes anteriormente. Siga seus instintos e não tente fazer o que você sabe que pode dar errado. E caso você se sinta muito ansioso, lembre-se de manter uma rotina mais ou menos fixa e saiba que esses dias também passarão rapidamente.
Mas também saiba que a “depressão de final de ano” pode não ser por causa da época de Natal e ano-novo, mas por conta de outras coisas na sua vida, e esses sentimentos só afloraram porque você saiu da rotina tradicional do trabalho. Caso descubra isso, não se envergonhe ou evite esses sentimentos, mas enfrente-os e procure a ajuda de um profissional de saúde mental, como um psicólogo ou terapeuta.

Comentários

Postagens mais visitadas