ARQUÉTIPOS DO AMOR



“A alegria do amor só é possível se você tiver conhecido a alegria de estar sozinho, porque só então você terá algo para compartilhar. De outra forma, serão dois mendigos se encontrando, agarrando-se um ao outro, mas não poderão obter o êxtase. Criarão infelicidade para ambos, porque cada um irá esperar em vão, que o outro o preencha. E o outro está esperando a mesma coisa”. (Osho)

O conceito de almas gêmeas é um arquétipo coletivo que nos fazer acreditar que outra metade de nosso ser nos completará. É uma ilusão, porque nos tornamos capazes de encontrar um parceiro ideal quando estivermos plenos de nós mesmos. Antes de estar inteiro e pronto para compartilhar o seu frescor, você apenas atrairá parceiros “problemas”. É a lei do universo e nada a transformará em função de você estar se sentindo só. O sentimento de carência e solidão advém do abandono dos nossos centros de felicidade. Quanto mais precisamos de alguém para nos sentir felizes, mais passageira e limitada será a felicidade. A causa de qualquer carência é a incapacidade de desenvolver um relacionamento inabalável com a própria fonte espiritual. Se nos sentirmos felizes internamente e de bem com nossa individualidade, então uma cumplicidade com o outro poderá ser dividida em forma de comunhão. O amor é um compartilhar e não um remédio que vai nos salvar dos problemas. A felicidade não virá através do encontro com o parceiro; você encontrará um relacionamento ideal a partir do momento em que encontrar a alegria da sua alma. Em meio a uma maturidade espiritual, um relacionamento amoroso saudável e afortunado pode ser possível.

Ativar no universo a mesma probabilidade.
Quando miramos um amor ideal, estamos fornecendo pistas a nós mesmos de que podemos ser o ideal que almejamos através das qualidades que projetamos no outro. Se você puder verdadeiramente abraçar todos os aspectos do seu ser e confiar na plenitude da sua beleza como ser humano, a vida assumirá a postura de um grande amante. Nada é mais atraente e amável do que as pessoas que se sentem confortáveis com a própria individualidade. A mente é medrosa e insegura diante da capacidade de ser digna de amor; contudo a alma reconhece apenas o amor em cada canto do mundo. Você estará encontrando o amor quando sentir que a alma está em fusão com todas as partes do seu ser. Este alinhamento de luz lhe fornecerá todos os ingredientes para a materialização de seus ideais mais secretos. A mente nunca é capaz dessa fusão, pois está mais atenta a superfície banal da vida. Quando você se apaixona por si mesmo, por um ideal de vida ou pela sua criação de uma parceria amorosa todas as curas são possíveis. Encontrar essa fonte de paixão é estar em contato com a estrutura bioquímica que regenera o seu corpo físico. E você não precisa estar enamorado de alguém para promover o êxtase que a alma transmite para o corpo em forma de cura. Todos os seus centros vibracionais podem exalar amor sem motivo algum. Este é o hábito dos santos criadores de milagres; eles geravam tanta energia que eram capazes de originar todo o tipo de evento nos domínios da matéria. A paixão é o reflexo da santidade; é impossível sentir Deus em tudo sem estar apaixonado – Todo o apaixonado conheceu a face de Deus de perto. A energia vinda do amor é plenamente criativa. A fonte da paixão está dentro de nós e se a paixão diminui é porque estamos perdendo o contato autêntico com a alma. O amor renova a sua vida, cura suas feridas e o alimenta de energia criadora. Para descobrir o quão apaixonado você é, olhe para as coisas que já criou ao seu redor. A sua vida adveio de um estado de profundo querer, de uma paixão por nascer e estar fazendo parte deste mundo. Nada pode ser criado sem paixão e sem amor: até mesmo quando um Buda entra em estado meditativo por meses ele está repleto de paixão em seu centro. E esse estado de plenitude cósmica alimenta o seu corpo e o mantém pleno e sereno de si mesmo, em êxtase com o seu mundo interior. Esse estímulo espiritual é um poder que todo o ser humano possui e pode gerar internamente através de seus ritmos vibracionais. O maior desperdício é jogar o amor fora em função das mesquinharias da mente que opta sempre por sustentar uma atitude de controle.

Arquétipos estão dentro da criação coletiva do mundo e da sua própria criação individual que modela o seu destino. “Eva se fez a partir da costela de Adão”. É um arquétipo de uma história mítica. Na verdade, Adão sentiu a necessidade de criar uma parceira através de si próprio. Não por acaso, a costela de Adão simbolicamente representa o chakra emocional por onde flui o nosso maná criativo.Quando encontramos alguém que preenche aquilo que vínhamos desejando encontrar em um parceiro, estamos vivenciando o poder da nossa criação. Quero isso, gosto disso e imagino me apaixonar por alguém que tenha certas qualidades específicas... E então, você começa a dar abertura criativa para o seu próprio arquétipo. E quando miramos um ideal é para lá que todo o nosso ser está indo. Quando admiramos o nosso ideal, nos tornamos seu reflexo no percurso da própria busca. Almas gêmeas representam o casal que se tornou igual em vibração, em conduta e em freqüências energéticas. No momento em que desejamos o melhor, estamos nos propondo a SER a natureza da nossa intenção.






"Mas, como posso me sentir feliz se não consigo"?


Há uma forma de você se sentir feliz e é definindo o que você realmente aprecia. Forneça os detalhes de suas preferências ao universo e este lhe dará a imaginação como pista de que tudo o que pode ser sonhado, pode ser conquistado. Veja só o respeito que o universo tem por você: a força propulsora dos acontecimentos é receptiva àquilo que você admira, acredita e acha que merece. Só há uma forma de você se sentir descontente: é reclamar da vida e investir em relacionamentos frustrantes achando que eles trarão soluções. Quando você decide focar seus objetivos sem se preocupar com o resto do mundo, você está tomando uma atitude egoísta de grande valentia. Se você não se preocupar com a sua felicidade, o resto do seu mundo estará perdido. Sempre que algo o aborrecer mire a felicidade, dê atenção às imagens interiores que correspondem a uma proposta de vida feliz. Adquira a postura meditativa do espírito que é capaz de observar os acontecimentos sem se deixar levar pelo drama emocional da mente. As angústias ficarão em terceiro plano enquanto todo o seu centro vital estiver direcionado para os seus objetivos. A única maneira de se aproximar da felicidade é pela admiração de suas preferências. A alma é sua fonte de amor e paixão e ela está viva através de você neste planeta. A sua divindade quer experimentar o melhor através de todas as suas preferências particulares. É comum pensarmos que não somos onipotentes, que devemos pedir a Deus que nossos desejos se realizem, mas a alma está na mesma busca, pois não há separação entre desejo, ideal de vida, corpo, espírito e divindade. Há dois caminhos a seguir e um deles vai dificultar a vida. Mas como somos animais inteligentes, cedo ou tarde, acabamos por escolher o caminho que nos acena com maior qualidade de luz.




Para que você não se perca no redemoinho das emoções conflitantes pergunte a si mesmo sempre que achar necessário:

Que tipo de relação eu quero viver?

Que tipo de relacionamento poderá me satisfazer por completo?

Qual o perfil do meu parceiro ideal?

Uma vez que você tenha detalhado, esteja certo de tudo o que quer e não tenha medo de pedir demais, então, a barganha estará sendo executada. Você merece aquilo que o fará plenamente realizado em todos os sentidos, pois essa é a única maneira de viver que a alma conhece. Almas gêmeas não existem por serem iguais, e sim porque a sua alma é capaz de criar um parceiro de acordo com as suas preferências pessoais. As pessoas e o mundo estão girando em função das nossas escolhas. As relações mais conturbadas estão existindo para nos mostrar o melhor caminho a ser escolhido. Você só pode escolher de acordo com aquilo que aprecia e não aprecia na experiência da vida. Quando encontramos alguém que nos preenche por inteiro é porque fomos capazes de admirar e nos apaixonar pela nossa própria criação antes do acontecimento real. O amor é o espelho da admiração. Quando admiramos, escolhemos e quando escolhemos, somos plenamente capazes de

O que for a profundeza do teu ser, assim será teu desejo.O que for o teu desejo, assim será teu destino.

(Deepack Chopra – Escritor indiano).


Todos os seus relacionamentos pessoais são aspectos profundos do seu ser, expressões da alma para que o fluxo da vida aconteça de acordo com o padrão de um destino. A alma procura nos acenar sutilmente, mostrando-nos um grande plano; embora este destino traçado esteja na estrada que trilhamos, muitas vezes podemos ficar cegos a ele por insistir num erro emocional. Encontrar este plano resulta na nossa eterna busca do relacionamento que nos completará. Você pode muito bem modelar o seu destino através dos arquétipos de um filme, de uma novela, das histórias e lendas de heróis: Romeu e Julieta, Isis e Osíris, Tristão e Isolda, Eros e Psiquê, o amor de Shiva e Shakti, A Bela e a Fera, Perséfone e Hades, O Plebeu e a princesa, Sansão e Dalila, Cinderela, Branca de Neve...O mundo é bem criativo em torno de todas as histórias de amor. Contudo, a sua capacidade própria de criar é ainda mais criativa. Olhe para todos os parceiros amorosos que já passaram pela sua vida e você notará a responsabilidade que teve em gerá-los. Reconstrua o sentimento que você tinha antes de ter travado um envolvimento emocional e você observará aspectos criativos intrincados dentro do padrão físico e de comportamento de cada parceiro.

Todos os arquétipos criados pelo mundo ou através de nossas escolhas são como obras artísticas que deixam a vida mais gloriosa e heróica quando realmente nos deparamos com a realidade de nossas criações.

“Puxa, mas ele é igual ao meu maior ídolo da história...”.

“Ela é a personificação de uma Deusa grega que tanto admiro...”.

O milagre é perceber que você tem o dom de mover a sua vida como bem entende através das suas escolhas e admirações particulares. Quando você reconhece e descobre o plano pretendido pela alma, uma gaiola se abre em volta de si mesmo, lhe fazendo perceber a beleza de outros horizontes.

A alma pode alcançar o melhor e o sublime muito mais facilmente do que o comportamento manipulador da mente. Reconhecendo o relacionamento que pode lhe fornecer muito mais realização, você reconhece a vida abundante que a consciência divina está querendo lhe mostrar. O caminho traçado pela alma pode se mostrar através de um simples insight ao ver um filme, ler um romance ou através da pura inspiração. Procure a mensagem por de trás de cada arquétipo e comece a desenhar o seu mundo sentimental.




"O amor é encontrado quando você se reconhece como o ser mais pleno e digno de amor do universo".
Se pudermos ver a vida com os olhos através da alta consciência observaremos a paixão em tudo.

Quando queremos controlar os acontecimentos e nossos parceiros de acordo com uma vontade pessoal, estamos nos afastando do nosso poderoso centro criativo e nos aproximando do centro destrutivo da mente. E quando insistimos obsessivamente em uma relação que está desgastando a proposta de felicidade, estamos nos afastando da intenção de uma vida mais plena. Os divórcios, muitas vezes, acontecem porque nos negamos em reconhecer as virtudes da relação que foram criadas por nós mesmos. A mente é capaz de ficar cega diante da beleza da criação. Se reconhecêssemos que a beleza interior do parceiro não foi embora com o tempo, estaríamos olhando para o mundo com os olhos da alma.

A cegueira da mente pode não conseguir romper um comportamento vicioso ao passo em que o espírito nos acena com diversas propostas de começar de novo e investirmos mais em nós mesmos.

O arquétipo do seu parceiro ideal vai conter justamente os ingredientes das suas crenças. Aquilo que acreditamos ser ou merecer vai formar o padrão do relacionamento ideal. Ao passo que a mente estará lhe enviando mensagens de que você merece o básico e o mundano, o amor estará lhe apontando a magia de um milagre. A alma procurará lhe mostrar através de pistas e sinais a inspiração que modelará a sua vida amorosa. O processo de criar a vida sentimental deve ser alegre e todo particular, portanto, você pode sentir admiração por um, dois, ou vários arquétipos, contanto que eles se harmonizem com a verdade do seu ser.


Quando o poder espiritual se casa com a força do amor e da paixão somos capazes de participar de um casamento sagrado com mais alguém. Veja o respeito que o universo tem por você: a sua vontade é como o vento que verga até o mais forte carvalho e mantém de pé a flexibilidade do frágil bambu. O universo está atento à projeção das suas vontades, preferências e vocações –basta que você dê vida ao seu coração e se apaixone por tudo que advém do seu ser. A felicidade é um ensaio que sempre resultará em um grande ato. Encontrar o parceiro ideal percorre as trincheiras do mesmo espírito. O seu poder oculto – aquele que corre através da seiva dos seus sentimentos e pensamentos diários é capaz de transformar o invisível em vida. É através da conexão com o seu mundo interior que o Deus assume ser quem você realmente é –

O Criador.


Fonte:
http://universoemvoce.blogspot.com

Comentários

Que delícia de texto! Que lições pra vida! parabéns.. que sejam abençoados os seus caminhos! Namastê. um abraço Janette
Que delícia de texto! Que lições pra vida! parabéns.. que sejam abençoados os seus caminhos! Namastê. um abraço Janette

Postagens mais visitadas