Psicologia Positivista sobre o stress







Respondendo a uma questão que é colocada com muita frequência logo nas primeiras sessões: como é mudo a minha vida de forma positiva e duradoura?...

Respondendo também a uma outra dúvida sobre esta matéria ligada à meditação enquanto prática de relaxamento e enquanto método de gestão de emoções: "Isso não é uma abordagem muito clássica, pois não?"...

As pessoas trazem no seu interior uma profunda vontade de mudar, mas têm algum temor das alterações que depois vão vivenciar. Por outro lado, receiam gastar tempo e dinheiro e, uma vez terminada a Terapia, imaginam que terão de recomeçar um novo processo a partir do zero... Também inibem o seu envolvimento em áreas mal explicadas, quando não estão familiarizadas com a prática da meditação.


Todas essas dúvidas são compreensíveis mas uma vez experienciadas as mudanças positivas, conseguem perceber que, afinal, bastava um trabalho profundo, de alguma continuidade... e...

... bem, nada melhor do que uma resposta com base científica que explique estas mudanças e que evidencie como produzi-las de forma eficaz, positiva e de longo prazo. Confira!



A Psicologia Positiva tem realizado uma série de intervenções cujo êxito é cientificamente provado, ajudando as pessoas a aprenderem métodos para construir recursos de grande importância em ordem a uma vida bem-sucedida e feliz.

Resiliência, gestão das flutuações do humor, controlo da tendência para a baixa auto-estima, saúde física melhorada, redução de sintomas de depressão, redução de insónia, controlo de situações de ansiedade e pânico, melhoria de sentimento de auto-confiança, e maior gestão do stress, estes são alguns dos variadíssimos recursos que se podem aprender.

Mas tudo depende, na verdade, daquilo que a pessoa precisa aprender. Não há receitas que "servem para um, servem para todos", nem magias com ervas, nem fantasias patetas... Nada disso. Cada ser humano é um caso específico, com uma história de vida diferente e a Ciência é ímpar em objectivar cada indivíduo num espectro de situações já perfeitamente identificadas.





Apesar de alguns profissionais usarem com os seus Clientes a aprendizagem de skills e o desenvolvimento de emoções positivas, até há pouco tempo estava por esclarecer - cientificamente falando - a forma de manter as pessoas equilibradas após terminar a série de atividades de intervenção durante a Psicoterapia, e como ajudá-las a manter esses recursos “vivos” e ativos ao longo do tempo. Alguns estudos têm entretanto sido realizados na tentativa de provar aquilo que, na prática, se verifica: quando as pessoas meditam, diariamente, elas tornam-se mais equilibradas e em sintonia com uma resposta inteligente e rápida sobre circunstâncias reais.

Os resultados do estudo aqui referenciado*, publicado no Jornal de Psicologia Positiva em Setembro de 2010, têm como base uma pesquisa científica que foi realizada durante 15 meses, após um trabalho de desenvolvimento de recursos emocionais, com participantes de um acompanhamento psicológico que incluía meditação.





As conclusões mostraram que todos os participantes mantiveram os recursos que haviam conquistado durante a intervenção inicial, quer tivessem continuado, ou não, a prática de meditar. Contudo, os “meditadores” contínuos, mostraram mais emoções positivas e respostas mais rápidas quando questionados sobre a forma como geriam as suas vidas.
No geral, os surpreendentes resultados desta pesquisa sugerem que algumas intervenções psicológicas são não apenas eficazes mas também de valor significativo na vida real das pessoas quando elas se envolvem em desenvolvimento através da conquista de novos recursos emocionais.
Entre outras conclusões, este estudo mostrou que as emoções positivas são um suporte importante como trampolim para ajudar a mudar a vida de uma pessoa cujo objetivo é somente ser mais feliz, mas não apenas momentaneamente feliz. Feliz, ao longo da sua vida.

Para isso, ela deve aprender novos skills e manter essas novas habilidades continuamente em ação.
Além disso, o estudo mostra que as pessoas que usam as capacidades aprendidas durante uma intervenção deste tipo, e que usam pelo menos um dos skills aprendidos (meditação), permanecem potencialmente equilibradas durante um longo período de tempo.
* Fonte:
Michael A. Cohna* and Barbara L. Fredricksonb. J Posit Psychol. 2010 September 1; 5(5): 355–366. In search of durable positive psychology interventions: Predictors and consequences of long-term positive behavior change.

Comentários

Postagens mais visitadas