Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho 1, 2011

Os sonhos...

PSICOLOGIA DOS SONHOS

INTERPRETAÇÃO DE SIGMUND FREUD

"O sonho é a estrada real que conduz ao inconsciente."

O sonho é uma manifestação criativa da psique (mente inconsciente e consciente) e transcende os meros cinco sentidos. Portanto, os sonhos podem, de forma simbólica e numa linguagem própria, revelar questões de sua personalidade que precisam ser trabalhadas.


Segundo esta o sonho é um meio pelo qual o inconsciente procura alertar a consciência para o que ela não percebe ou não quer aceitar, e tenta, por compensação, equilibrar a psique, a totalidade de fenômenos psíquicos. Os sonhos trazem à tona os complexos e sugerem alternativas para a consciência, cujo centro é o ego, realizar o que a pessoa é potencialmente. Ou seja, os sonhos são avisos.


Carl Jung não reduz os sonhos à satisfação de desejos reprimidos no inconsciente pessoal, como o fez Freud. Ele os toma como mensageiros de complexos. Segundo ele, anexo a nossa consciência imediata existe um segundo sistema psíqu…

Rir é o melhor remédio....

Muitas pessoas não imaginam o quanto uma boa gargalhada é poderosa. Em nosso cotidiano, nos perdemos em meio às preocupações, nos apegamos ao sofrimento, e esquecemos de que a todo momento fazemos escolhas que nos levam a esse estado de tensão, de seriedade, de sofrimento. Quais escolhas você tem feito para melhorar sua qualidade de vida? Que escolhas suas estão perpetuando um ciclo repetitivo de problemas, preocupações ou sofrimento?Ter consciência das escolhas que fazemos e de nossa responsabilidade nem sempre é fácil. Quase sempre é difícil, pois já estamos acostumados com nossas vidas do jeito que estão, por mais que tenhamos vontade de mudá-la. Se você observa que não tem feito escolhas muito saudáveis, se não sabe por onde começar a mudar algo em sua qualidade de vida, se não sabe como tomar consciência do que precisa ser mudado, minha sugestão é: comece com uma boa gargalhada. A seriedade é um dos piores males dos últimos séculos, nos prende a uma forma rígida de ver a vida, e …