A nossa capacidade onírica...

Os sonhos têm significados em todas as culturas, nas mais diferentes crenças. Há espaço para a interpretação mística, tradicional e até mesmo para a leitura científica – por meio da psicologia.

Para o médico psiquiatra Carl Gustav Jung, fundador da Psicologia Analítica, considerado um dos mais importante estudiosos do fenômeno, os sonhos não são meras fantasias ou lembranças misturadas, mas mensagens do inconsciente com sua própria simbologia e significado.

O pensador defendia que os sonhos eram produtos do inconsciente. Sua "substância" ou matéria-prima é constituída por símbolos, elementos formados por conteúdos próprios da consciência e do inconsciente. O trabalho analítico consiste também em compreender, através da consciência, os significados implícitos nestes símbolos.

No mundo dos sonhos nem tudo é o que o parece e a

A Ciência encara os sonhos como um mecanismo que aponta e demonstra a real situação psíquica do sonhador, ensina e muitas vezes aponta caminhos para a solução de problemas, enfrentamento de medos e superação de traumas.

Na psicologia clínica junguiana é o paciente – com o apoio do terapeuta - que relaciona esses símbolos ao momento, emoções, fantasias e lembranças - cada pessoa recebe a "mensagem" de que necessita.

O que as pessoas veem e sentem enquanto sonham não deve ser, necessariamente, entendido literalmente. "O inconsciente tem uma forma diferente de se comunicar, apropriam-se de símbolos para falar com o ego", Em outras palavras, muitas vezes sonhar com a morte ou a dor pode ser angustiante, mas seu significado nada ter a ver com isso e pode até ser bastante positivo.

Mensagens
"O sonho é um produto do inconsciente
do indivíduo com símbolos, cujos
significados são compreendidos por
associação"

Os sonhos recorrentes, especialmente aqueles ocorridos na infância, podem revelar aspectos importantes da vida e da personalidade do indivíduo: quem ele é, qual sua situação psíquica atual, como se mostra para o mundo e até mesmo a forma como a pessoa se relaciona com os outros.

A mensagem do sonho fica mais clara por meio de associações, isso vale para cores, objetos, pessoas, ou seja, qualquer imagem."Podemos analisar o contexto de um sonho e, pelo significado das cores presentes, interpretar o que ele quer dizer", diz. Mesmo dos pesadelos não é preciso ter medo.

As imagens nem sempre são o que parecem, mas estão carregadas de significados inconscientes, que são revelados por meio de associações que o paciente faz.

É o "sonhador" que faz os questionamentos que desvendam a mensagem do inconsciente. Elisângela esclarece ainda que para a Ciência o sonho é, antes de tudo, um processo de autoconhecimento. Pelo mesmo motivo é raro quando um sonho serve para prever o futuro. O que acontece com mais frequência é que a pessoa sonha com uma situação resolvida, se orienta pelo sonho e, quando dá certo, ela vivencia o que anteviu.

Precursor
O primeiro trabalho científico sobre o tema foi "A Interpretação dos Sonhos"(1899), de Sigmund Freud. Mais tarde, Carl Jung iria aprofundar o estudo.

Comentários

Postagens mais visitadas