E voce, sabe quem voce realmente É?


Você tem consciência de suas imaginações, sonhos, intuições, lembranças, realidade, ou tudo isso parece confundir ainda mais sua vida diária? Muitos levam a vida sem muitos questionamentos. Pode até parecer mais cômodo levar a vida sem muitas reflexões. Para muitos, analisar as próprias atitudes e comportamentos seria como mexer num vespeiro.
Vivem apenas na busca da satisfação de necessidades básicas e primárias, como dinheiro, comida, sexo e trabalho. Importam-se no que dizer, fazer e/ou ter, mas raramente conseguem ser. Alguns vivem apenas para gastar o que ganham, sem se preocupar com uma vida de significado mais amplo. São aquelas pessoas que encontramos depois de anos e tudo permanece igual. Podem até ter conquistado algum bem material, mas não houve evolução, transmutação ou crescimento interior.
Para aprender a controlar nossos comportamentos, desejos e ações, temos que compreendê-los e analisá-los. Enquanto formos incapazes de exercer algum controle sobre nossas emoções, seremos estranhos a nós mesmos, incapazes de implicar sobre o mundo que nos cerca porque não teremos contato com nossa própria realidade interior. Evitamos entrar em contato com nossos sentimentos mais profundos, até como forma de defesa, pois tememos nos machucar.
Os caminhos de alienação de si próprio são os mais diversos. Alguns evitam encarar sua realidade trabalhando o tempo todo. Outros adoecem. Outros ainda passam o tempo cuidando da vida alheia. Outros passam a comer tudo o que vêem pela frente. Tudo isso para não ter tempo de olhar para si mesmo. As pessoas que não refletem sobre sua própria vida, distanciam-se cada vez mais de seus reais sentimentos. Simplesmente vão agindo impulsivamente, caminhando sem saber para onde.
Qualquer desculpa parece válida para que as pessoas desviem a atenção das dores que algumas lembranças trazem e que podem machucá-las. Esquecemos-nos que podemos estar nos prejudicando ainda mais, principalmente quando se recorre às drogas, ao álcool, ao jogo, ou comida. Os vícios, a compulsão, representam uma forma de fuga. Pode-se até obter resultados por algum tempo (prazer imediato), mas nunca poderemos fugir do que há dentro de nós para sempre.
A recusa em enfrentar a realidade e os próprios sentimentos é uma reação normal. Às vezes não se tem nem consciência de que fugimos de nós próprios. Na maior parte, o fazemos inconscientemente. Só nos damos conta de que algo não vai bem internamente, quando nos deparamos com alguma dificuldade e entramos em conflito e angústia.
Este é o momento de olhar para dentro de si mesmo e perguntar-se: "o que acontece, por que me sinto triste, vazio, insatisfeito, infeliz?". Ao se questionar, é possível obter as respostas, nem que isso seja doloroso a princípio. Fácil? Nem um pouco. Olhar para dentro de si mesmo é uma das maiores dificuldades do ser humano moderno.
Um jeito de iniciar o autoconhecimento é escrevendo sobre sua vida. Pegue um caderno e comece e descrever seus pais, avós e outras pessoas significativas. Descreva seu lar e o ambiente de seus primeiros anos. Os momentos que mais marcaram sua infância e sua adolescência. Relembre as boas coisas que lhe aconteceram e também os maus momentos. Perceba os padrões de comportamento que se repetem.
Pense nas coisas que gostava de fazer e não faz mais. Escreva tudo o que lhe vier à mente e permita sentir as sensações que virão. Não tenha medo. No começo poderá sentir alguma dificuldade, mas depois você irá perceber que a escrita irá fluindo naturalmente, trazendo a sensação de alívio. Tome cuidado para que ninguém tenha acesso a suas anotações caso você não queira e, se preferir, destrua-as depois que lhe forem úteis.
Os exercícios de autoconhecimento lhe proporcionarão uma maior compreensão de si próprio, fazendo com que você entenda as origens de muitos de seus comportamentos. Mas, se você não se sente seguro para fazer isso sozinho, procure ajuda de um profissional de sua confiança.
A maior conquista é aquela que obtemos por nossos próprios méritos, porém muitos não se permitem ir em busca dessa conquista. Não há apenas conquistas materiais e amorosas, há conquistas ainda mais importantes, como a conquista de sermos melhores, mais capazes e sermos aceitos, antes de tudo, por nós mesmos. Conhecermo-nos é uma conquista extraordinária.
Às vezes a fuga de si mesmo decorre do medo de olhar para dentro de si e descobrir algo negativo e ruim, pois assim muitas vezes nos fizeram acreditar. Grande engano! Todos temos a capacidade para alcançar e sermos o que quisermos, desde que tenhamos consciência do que almejamos. A partir do momento que paramos de fugir de nosso verdadeiro "eu", nos aceitarmos e nos amarmos, não teremos mais insatisfações. Se chegamos até aqui é porque trilhamos um caminho que nos capacitou para isso.
Quando conseguirmos nos olhar no espelho, ver nossa imagem refletida e sentir o que há realmente dentro de nós, sem precisarmos desviar o olhar, com certeza estaremos no caminho do crescimento interior. E acredito que essa ainda é a maior busca do ser humano: evoluir como um ser que se permite simplesmente SER!

Comentários

Postagens mais visitadas