Pular para o conteúdo principal

Catarse com Amor

Ando refletindo no quanto é difícil dissipar algumas energias negativas. Realmente dissipá-las da nossa alma e não guardá-las em algum lugar dentro de nós como se elas não existissem. Isso não é bom, é como conservar uma “Caixa de Pandora”, sempre devastadora quando aberta. Nossa luta maior passa a ser mantê-la fechada, não restando forças para dissipar a energia negativa alí acumulada. Isso não é saudável sob nenhum aspécto. Penso que essa caixa não devia existir dentro de nós, porque se acumulada, nos envenena silenciosamente e devastadoramente. Muitas doenças físicas têm como causa energias negativas acumulada na alma. Mas isso ainda não é o pior, porque de qualquer forma o máximo que pode nos acontecer é morrermos devido à essas doenças, e isso, sem dúvida, não é o “fim do mundo”, mas o problema psíquico mudando de dimensão. Nosso corpo físico pode morrer, mas o problema não, porque a causa está no Espírito. Morremos e continuamos com as energias negativas, por isso penso que catarses-doenças não são sinônimo de cura psíquica, porque são efeitos. O que pode acontecer é, diante da doença e da possibilidade da morte, tenhamos reações de mudança e tranformação psíquica e energética. Repensemos nossas mágoas, resolvamos nos reconciliar com as pessoas, vejamos dádivas onde antes víamos problemas e muito mais. Mas aí não seria a doença em si, mas a nossa *reação* diante da doença.

Minha pergunta então é: Como conseguir, de forma eficiente, definitiva e *consciente*, transformar energia negativa em positiva? Como transformar fel em mel?

Existem algumas idéias terapêuticas que dizem que temos que liberá-las, ou seja, colocar para fora nossas energias negativas, seja brigando, gritando, xingando, fazendo escândalo, quebrando coisas, praticando esportes violentos, enfim, deixar que a energia saia de nós e “queime” no mundo externo. Mas eu não consigo me sentir confortável em envenenar o mundo à minha volta com minhas energias negativas. Não consigo ver algo positivo em poluir o “meio-ambiente mental”, os meus amigos e até os inimigos com os venenos da minha alma. Todos merecem só amor e energias positivas. Me sentiria uma fábrica que libera materiais tóxicos no meio-ambiente durante sua produção. Por isso entendo que tal como hoje fazem nas fábricas, meu material tóxico também precisa ser filtrado e controlado. Isso consegue-se com auto-controle e educação espiritual e emocional. Mas da mesma forma não quero me poluir, porque eu também mereço amor. Aí que está o grande problema… Como transformar essas energias dentro de mim? Como dissipá-las dentro de mim, para que elas não envenenem nem à mim e nem ao mundo à minha volta?

Alguns especialistas dizem que as Artes são excelentes catárticos, que elas transformam nossas energias, que podemos transformar um drama íntimo em obras de arte que retratem o positivo da vida. Nao digo criar coisas negativas, para externar os nossos venenos, porque isso seria poluir o ambiente e as pessoas do mesmo jeito. Mas criar coisas positivas sobre o nosso drama afim de que, aos poucos, aquelas energias ruins sejam dissipadas pelas boas que nossa alma estará criando. Nossa energia divino-criativa sendo antídoto para as energias humanas.

Já a maioria dos Mestres que passaram pela Terra são unânimes em recomendar a prática do amor e da benemerência como poderosos e potentes “transformadores energéticos”, como verdadeiros remédios para a alma e para todos os nossos males. Amar para curar a alma. Eu concordo com eles, pois não consigo ver nada que seja mais eficaz, rápido e poderoso que a força do Amor que existe dentro de todas as criaturas. No entanto, como fazemos enquanto não conseguimos amar as pessoas acima dos problemas e conflitos que partilhamos com elas? Será que amando outras pessoas, doando-se para outras pessoas, as energias geradas pelos nossos conflitos com determinadas pessoas são dissipadas também? Ou será que apenas amando a “pessoa-conflito” que conseguiremos a cura? Não digo amar no sentido de sentir afeto apenas, mesmo porque não raras vezes os nossos maiores e mais pungentes conflitos são com as pessoas que mais amamos. Digo no sentido de compreender, perdoar, ou seja, amar de forma mais profunda, transcendendo o afeto. E o auto-amor, será que dissipa nossos venenos? São algumas das perguntas existenciais que nos surgem quando tentamos resolver nossos conflitos com o amor. Como achar as respostas? Meditando, orando, perguntando à Deus dentro de nós? Talvez…

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

12 maneiras de jogar energia fora...

Por mais que existam pessoas desequilibradas e difíceis nós é que somos responsáveis pelas nossas energias e cabe a cada um de nós preservá-la e administrá-la da melhor forma possível. Existem “receitinhas”, orações, banhos, cristais e um arsenal de proteção, que são válidos e eficientes até um certo ponto. Porque aquele que não assume a responsabilidade por suas venturas e desventuras sempre estará vulnerável às energias ao seu redor. Sabe por que o outro rouba a sua energia? Porque você deixa a porta aberta!!! E depois ainda diz que a culpa é do outro… Para ajudar a refletir, fiz uma listagem de doze atitudes (e olhe que a lista é imensa!) que gastam uma tremenda energia vital. Uma vez desvitalizado e sem proteção fica fácil para qualquer um chegar perto e perturbar seu equilíbrio. Use esta listagem também para pensar porque a prosperidade às vezes passa longe de você. A energia que seria usada para atrair o bem, a felicidade, o amor, o dinheiro acaba sendo gasta de …

עילי בוטנר ורן דנקר - בואי נעזוב

Agradecer sempre!!!

Você sabia que o Universo se comunica conosco o tempo todo e nos envia respostas, mensagens e sinais, de acordo com nossos desejos e necessidades? Estes sinais se manifestam através do fenômeno que conhecemos como sincronicidade, ou seja, no momento em que você necessita de algo, ou de que alguma situação aconteça, aquilo se manifesta repentinamente em sua vida. Mas eles não se apresentam somente com soluções grandiosas ou espetaculares. Manifestam-se igualmente nos acontecimentos rotineiros. A prova incontestável de que você está vivendo e atuando numa parceria harmoniosa com a vida, é a presença destas sincronicidades em seu dia-a-dia. Para percebê-las, é necessário que você esteja atenta e consciente de que o Universo sempre responde, de alguma forma, a todos os seus pedidos. Se você vinha recebendo estes presentes e, de repente, eles pararam de acontecer, saiba que algo saiu do eixo em seu plano de vida..... É indício de que você se deixou perturbar por alguma forma de negativida…