Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho 14, 2009

A VIDA TRAZ AQUILO EM QUE A GENTE ACREDITA

Alimentar crenças negativistas é o que faz com que as coisas não dêem certo em nossa vida:"Coisa boa não vem de graça.
A vida é dura. É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que rico entrar no Céu. Sorte no jogo, azar no amor. Quanto mais eu rezo, mais assombração meaparece. Felicidade dura pouco". Essas frases são tão fortes e conhecidas em nossa cultura que já tornaram-se parte do nosso conjunto de valores. Mas, alimentar crenças negativistas como essas é extremamente prejudicial à nossa felicidade. É o que afirmam os psicólogos como Vera Lúcia Ferreira dos Santos, cujo trabalho é levar as pessoas a encontrar as crenças que as limitam, desfazê-las e colocar no lugar pensamentos otimistas. Ao acreditar nessas coisas, o ser humano cria situações que só as reforçam. "Alguém que não se acha inteligente faz um teste para conseguir emprego e fica nervoso", exemplifica Vera. "Aí, não consegue passar e continua pensando que não é inteligente" .…

O ENTERRO DO "NÃO CONSIGO"

Barry Manylow - Mandy




(CHICK MOORMAN)
Enterrando os "não consigo"Esta história foi contada por Chick Moorman, e aconteceu numa escola primária do estado de Michigan, Estados Unidos. Tomei um lugar vazio no fundo da sala e assisti. Todos os alunos estavam trabalhando numa tarefa, preenchendo uma folha de caderno com idéias e pensamentos. Uma aluna de dez anos, mais próxima de mim, estava enchendo a folha de "não consigos". "Não consigo fazer divisões longas com mais de três números." "Não consigo fazer com que a Debbie goste de mim." Caminhei pela sala e notei que todos estavam escrevendo o que não conseguiam fazer. "Não consigo fazer dez flexões.", "Não consigo comer um biscoito só." A esta altura, como a atividade despertara minha curiosidade, decidi verificar com a professora o que estava acontecendo e percebi que ela também estava ocupada escrevendo uma lista de "não consigos". Observando tudo, eu me perguntava por…